Caerdes

Biofertilizantes — um mercado que promete florescer

A crescente conscientização sobsize_810_16_9_plantinhare os efeitos ambientais causados ​​por fertilizantes químicos e a demanda por produtos orgânicos tem aumentado a procura por alternativas ecológicas na agricultura.

Na linha de frente desse movimento, os biofertilizantes vêm ganhando importância, com um mercado que deve atingir US$ 1,88 bilhão em 2020, um crescimento de 14% em relação a 2015. Os dados são de um relatório da consultoria de pesquisa global Marketsandmarkets.

IMG_2075

Produção de Biofertilizande no Caerdes. Foto: Augusto Jackson

Os biofertilizantes resultam da biodigestão de compostos orgânicos de origem vegetal e animal e, diferentemente dos adubos químicos, são constituídos por uma variedade de espécies de micro-organismos, considerados benéficos para o solo.

Eles possuem a propriedade de ajudar as plantas a absorver melhor os nutrientes presentes na terra e a aumentar a concentração e a disponibilidade de certas substâncias.

Biofertilizantes também atuam como uma barreira física contra doenças e protegem as plantas de pragas, além de decompor resíduos orgânicos, estimulando o crescimento dos cultivos.

A necessidade de desenvolver estratégias alternativas de manejo da fertilidade do solo movimenta o mercado de biofertilizantes, que já vive uma forte concorrência, devido à presença de um grande número de empresas de pequena e grande escala.

“Expansões, aquisições, acordos e lançamentos de novos produtos são as principais estratégias adotadas pelos agentes do mercado para garantir o seu crescimento nesse setor”, nota a consultoria.

Atualmente, o mercado de biofertilizantes é dominado por empresas como a Novozymes (Dinamarca), National Fertilizers Limited (Índia), Madras Fertilizers Limited (Índia), Gujarat State Fertilizers & Chemicals Ltd. (Índia), e Rizobacter Argentina SA (Argentina).

Retirado em Exame.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »